Sábado, Julho 13, 2024
InícioBebêA alimentação do recém-nascido. 

A alimentação do recém-nascido. 

A alimentação do recém-nascido desempenha um papel fundamental para o desenvolvimento saudável nos primeiros meses de vida. O leite materno é uma fonte de alimento rica em nutrientes essenciais para o bebê e fornece anticorpos, gorduras essenciais e proteínas. O leite materno também conhecido como o líquido de ouro, deve ser a principal fonte de alimento até pelo menos 1 ano de vida e exclusivo até os 6 meses. Mesmo o aleitamento materno ser a fonte de alimento, também beneficia o vínculo da mãe com o bebê, tornando a conexão mais forte. Contudo, o leite materno é perfeito para o sistema imunológico também. 

Logo que o bebê nasce, é crucial colocá-lo para mamar para que o leite materno proporcione as primeiras fontes de nutrição e proteção, e dessa forma desenvolvem um papel vital para o desenvolvimento do recém-nascido. O leite materno se adapta as necessidades do bebê, ou seja, se o bebê pegar um resfriado o leite irá produzir exatamente o necessário para aumentar a imunidade do bebê novamente. Nas primeiras horas após o parto, desce o colostro que é mais espesso e amarelo que o leite que virá depois. 

O recém-nascido deve entrar em contato com o colostro assim que nasce, afinal o colostro é o leite com maior quantidade de anticorpos para o sistema imunológico. Embora, o amamentação exclusiva com o leite materno seja a melhor opção nutricional e emocional para o bebê, existem mães que não conseguem amamentar. Nesses casos, as fórmulas infantis são as opções mais nutritivas e seguras. Fórmulas produzidas para simular o leite materno, garantindo que o recém-nascido tenha recebido os nutrientes adequados e assim promover o desenvolvimento saudável na alimentação do bebê.

Imagem de bearfotos no Freepik

 A alimentação do recém-nascido: quanto tempo pode ficar sem mamar?

A frequência da alimentação do recém-nascido é bastante comum entre as mães de recém-nascidos, e entender quanto tempo o bebê pode ficar sem mamar é crucial para o bem-estar do pequeno. Nos primeiros meses de vida do bebê, recomendamos ofertar sempre que o bebê tiver interesse, ou seja, sobre demanda mas que não passe mais de duas a três horas sem ser alimentado. A importância do alimento com certa frequência, acontece porque os estômagos ainda são pequenos e a digestão acontece mais rápido precisando de ofertas frequentes para atender necessidades nutricionais. Conforme o bebê cresce, é comum que a frequência de mamadas fiquem espaçadas com maior intervalo de tempo. Normalmente aos 6 meses é quando o bebê começa a introdução alimentar, espaçando também as mamadas para dar lugar aos alimentos. Lembrando que o aleitamento materno é a principal alimento até primeiro ano de vida do bebê.

Quais são os sinais de fome do recém-nascido?

Recomendo conhecer os sinais de fome que o bebê apresenta para ter garantido que as necessidades nutricionais da alimentação do recém-nascido são supridas. Portanto, alguns dos sinais que apresentam são: 

  • Movimentos de busca: Os bebês tem reflexos naturais de busca quando estão com fome, virando a cabeça e abrindo a boca;
  • Mãos na boca: Colocar as mãos na boca sugando também é sinal de fome. Essa é uma forma instintiva de autoestimulação e e preparo para a alimentação;
  • Inquietação ou agitação: Bebês com fome ficam inquietos e agitados. Se contorcem, choram mais agudo e movem as pernas, indicam a necessidade de alimentação; 
  • Choro específico: Os pais desde cedo aprendem a distinguir os diferentes choros do bebê. O choro de fome é mais agudo e urgente, principalmente quando outros cuidados básicos já foram atendidos;
  • Sugando ou mordendo: O reflexo de sucção está de presente desde o nascimento do bebê. Se o bebê começa a sugar as mãos ou algo por perto, pode ser sinal de fome; 

A fórmula na alimentação do recém-nascido

As fórmulas infantis modernas feitas para replicar o leite materno o máximo possível e garantir a alimentação do recém-nascido. O aleitamento materno será sempre a melhor opção para o recém-nascido rico em nutrientes únicos. Mas quando há alguma situação onde a  mãe não pode ou não consegue amamentar, a fórmula tem esse papel importante na vida e desenvolvimento do bebê. A fórmula tem a capacidade de se adaptar às necessidades específicas do bebê. Por exemplo, a fórmula especial, desenvolvida para lidar com alergias ou intolerâncias alimentares. Lembrando que a orientação médica é que o aleitamento exclusivo seja até pelo menos 6 meses, e caso a mãe não consiga amamentar, ofertar seu próprio leite em mamadeiras ou o que for melhor para o bebê. O uso de fórmula é uma opção para quando não há nenhuma possibilidade do aleitamento materno. 

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Poliana coimbra do Bonfim sobre Pico de crescimento