Terça-feira, Abril 16, 2024
InícioBebêBebê sem cólicas. Como ajudar seu bebê?

Bebê sem cólicas. Como ajudar seu bebê?

Todos os pais sonham com um bebê sem cólicas! De fato, as cólicas do bebê tendem a ser um problema comum (20% dos bebês terão episódios de cólicas) nos primeiros meses. Entretanto, as cólicas geralmente iniciam após a segunda semana de vida, tem seu pico no segundo mês do bebê e terminam por volta do terceiro mês. As características associadas à cólicas em geral são: choro inconsolável, vermelhidão, força excessiva para evacuar e movimentos com as pernas em direção ao corpo.

Sendo assim, não conhecemos as causas exatas das cólicas. Além do mais, muitas vezes estão associadas ao que chamamos de disquesia (dificuldade no controle dos esfíncteres – caracterizada pela força excessiva e vermelhidão ao tentar evacuar) e gases.

Dessa maneira, acredita-se que as cólicas possam ser causadas por uma combinação de fatores. Sem dúvida, a imaturidade do sistema gastro-intestinal, mas também o excesso de ar engolido durante a amamentação ou a alimentação com leite artificial. Além disso, estresse ou ansiedade da mãe são sentidos pelo bebê e aumentam a produção de hormônios que potencializam a dor.

Imagem de cookie_studio no Freepik: Bebê sem cólicas. Como ajudar seu bebê?

Por isso, é importante ressaltar que as cólicas do bebê geralmente desaparecem com o amadurecimento. Mas, existem algumas medidas que podem ser tomadas para aliviar o desconforto do bebê e passar por esse período com maior tranquilidade, menos choros e chegar ao tão sonhado “bebê sem cólicas”.

Medidas para aliviar as cólicas

  1. Realize massagem circular na região do abdômen do bebê – movimentos bem suaves (pode usar óleo de coco para deslizar as mãos). É importante que as suas mãos estejam quentes. Prefira um ambiente com luz baixa e tranquilo – se tiver pessoas ao redor agitando o ambiente, peça para ficar sozinho com o bebê já que isso pode ser importante.
  2. Mude o posicionamento do bebê: Segure o bebê em uma posição vertical, com a cabeça apoiada no seu ombro, comprimindo a barriguinha dele contra seu corpo. Coloque o bebê deitado de barriga para baixo em seu colo, com as pernas penduradas e a cabeça apoiada em suas mãos.
  3. Pratique a higiene natural: Essa  técnica melhora muito as cólicas causadas pela disquesia ou pela presença excessiva de gases. Os cuidadores devem perceber os sinais que o bebê apresenta quando ela está com vontade de fazer cocô. Os pais levam o pequeno para o penico ou vaso sanitário e retira as fraldas. Aplicação desde o primeiro dia de vida. Pode ser feito de forma preventiva 2x ao dia para ajudar o bebê a eliminar os gases, nesse caso consiste em colocar o bebê em posição de evacuar  (pernas elevadas e costas encostadas na barriga da mãe) para ajudá-lo a conseguir eliminar os gases.

Bebê sem cólicas – APLV

Antes de mais nada, a alergia a proteína do leite de vaca é a reação alérgica alimentar mais comum na população infantil. Apesar de que você já deve ter ouvido alguém dizer: “mas antigamente ninguém tinha isso”, a verdade é que havia menores condições de diagnosticar. Sendo assim,2 a 3% dos bebês apresentarão esse tipo de alergia que pode exigir alguns cuidados importantes e podem repercutir na presença de cólicas intensas.

Boa parte dos bebês (80%) irão superar essa reação alérgica no futuro e poderão se alimentar de derivados de leite e leite de vaca.

Dessa forma, muitas mães passam a acreditar que o bebê tem APLV devido aos choros de cólica, iniciam restrições alimentares por conta e passam por “perrengue” desnecessariamente. Só quem já fez as restrições para um bebê com APLV sabe o quanto não é brincadeira.

É importante que sempre seja o médico da família ou pediatra para conduzir o diagnóstico. Bebês choram por diversos motivos, e choro intenso por si, não quer dizer APLV. 

Alguns sinais além das cólicas que podem surgir em uma bebê que apresenta essa alergia alimentar. Os mais comuns são marcas na pele (tipo “espinhas”, bolhas ou vergões), vômitos, sangue ou muco nas fezes, problemas respiratórios.

Para as mães que amamentam a solução é mais barata e normalmente simples: eliminar alimentos feitos a base de leite de vaca ou que contenham traços.

Já pras mamães que usam fórmula, o bebê terá de fazer uma adaptação para outra fórmula especial. Consulte programa do governo que fornece esse tipo de leite.

Medicamento para cólica infantil

Os medicamentos não tem se mostrado muito eficazes no combate às cólicas isoladamente, porém alguns estudos mostram eficácia quando utilizados em combinação com as outras medidas. O principal medicamento utilizado atualmente é o Lactobacilos Reuteri  que é um probiótico que reequilibra a saúde intestinal, melhora o amadurecimento e diminui as cólicas fisiológicas do bebê.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Poliana coimbra do Bonfim sobre Pico de crescimento